Trabalhar sob pressão e perceber que a rotina profissional está afetando a saúde do indivíduo não é um fato isolado ou incomum, muito pelo contrário. Segundo a Isma (International Stress Management Association), 70% dos trabalhadores brasileiros sofrem do mal do estresse no ambiente de trabalho, e o número não difere muito da média mundial, que é de 72%.

Na verdade, há vários agentes que podem fazer do dia a dia profissional um verdadeiro martírio e isso tem consequências diretas na saúde do trabalhador. Neste sentido, é importante encontrar saídas para enfrentar as dificuldades diárias e conseguir manter a saúde em dia, sem que se afete a produtividade ou o bem-estar do indivíduo.


Veja aqui algumas dicas que temos para você, de como lidar com cada situação.


1º – Pressão por resultados :
 No primeiro posto da nossa lista de situações mais estressantes, encontramos um fato mais do que comum em praticamente todas as rotinas profissionais. Para lidar com a pressão por resultados, é importante manter a calma e fazer as coisas no tempo necessário. Muitas vezes, fazer uma atividade rápido demais pode implicar em mais e mais retrabalho, o que dificulta ainda mais para atingir metas.


2º – Horas Extras:
 Como se não bastasse a rotina de 8 horas diárias, muitas vezes consumindo partes do horário do almoço, ainda há muitos momentos em que é preciso fazer horas extras. É preciso ir com calma. Longos períodos sem descanso são potenciais agentes prejudiciais à saúde. Se puder, intercale pequenas pausas ou tente diluir a quantidade de horas extras em dias diferentes.


3º – Reuniões com supervisores ou chefes:
 Reuniões com superiores fazem parte da rotina e é normal se sentir pressionado a apresentar bons resultados. O ideal é se preparar e tentar deixar todos à vontade, fazendo com que esta atitude seja uma excelente oportunidade para você se destacar. Se o trabalho foi bem feito anteriormente, a reunião tem mais chances de ser um sucesso.


4º – Desencontro de informações:
 Este tipo de situação afeta bastante a fluidez dos processos. Imagine que uma solicitação foi seguida à risca, e em algum momento durante isto, seu chefe pede que seja feito exatamente o contrário. Antes de começar a refazer todo o trabalho, o melhor é verificar as informações. Caso a mudança seja confirmada, tente criar esquemas para evitar novos desencontros.


5º – Problemas com prioridade de tarefas:
 Parecido com o item anterior, a definição de prioridades pode transformar uma cadeia de ações em um fracasso. Se você for o gestor, dedique um tempo à definição da ordem de atividades, alterando quando for necessário, mas não faça tudo ao mesmo tempo. Caso você seja o responsável pela execução, alerte seu superior sobre os conflitos possíveis.


6º – Falta de força de vontade da equipe:
 Pior do que ter que resolver problemas todos os dias, é trabalhar sozinho. Nesse contexto, muitos bons profissionais acabam absorvendo atividades extras em função do seu comprometimento com os objetivos, mas isso é prejudicial tanto para o funcionário como para a equipe. Em primeiro lugar, porque aumenta o esforço de quem já trabalha no limite, em segundo porque vicia o processo. Talvez seja hora de rever seu emprego ou de sugerir dinâmicas que revertam a situação.


TORNE-SE UM PROFISSIONAL DE SUCESSO!

CONHEÇA #MICROLINS